Diferença entre Pis e Pasep

PIS e PASEP foram criado no ano de 1970 e através de contribuições das empresas e setor público são criados fundos que distribuem renda para os empregados.

A constituição de 1988 trouxe grandes alterações ao sistema PIS/PASEP, e acabou com as cotas individuais dos trabalhadores, os valores recolhidos passaram a ser destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT, para patrocinar os programas do Abono Salarial e do Seguro Desemprego.

PIS

O Programa de Integração Social é um programa criado em 1970 através da lei complementar nº 7/1970, e tem o objetivo de promover a integração do empregado na vida e no desenvolvimento das empresas.

Esse fundo é mantido pelas empresas através de recursos  calculados com base no faturamento, ou mediante dedução do Imposto de Renda devido.

A responsabilidade por manter e pagar o PIS é da Caixa Econômica Federal

PASEP

Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP) foi criado também no ano de 1070 através da lei complementar 8/1970.

O financiamento desse fundo é formando com recolhimentos mensais da União, os Estados, os Municípios, o Distrito Federal.

A responsabilidade por manter e pagar o PIS é do Banco do Brasil.

Com a edição da Lei Complementar nº 26, em 1975, o PIS e o PASEP foram contabilmente unificados e deram origem ao Fundo de Participação PIS-PASEP.

As costas de PIS/PASEP, são apenas para os participantes cadastrados até 04/10/1988, que tenha recebido distribuição de cotas referente ao período de 1971 a 1989 e que ainda não tenha sacado o saldo do principal do PASEP.

Como citado anteriormente, desde a Constituição Federal de 1988 os pagamentos passaram a ser através do abono salarial que beneficia trabalhador que tenha ganho, no ano base de referência, média mensal de até 2 salários mínimos.